Vereadores investigados em operação em Araxá são soltos pela Justiça

Foto:Reprodução/Portal G1

Os vereadores investigados no caso de compra de apoio político na Câmara de Araxá, Estáquio Pereira, Sargento Amilton, José domingos e Juninho da Farmácia foram liberados da prisão nesta sexta-feira (21). Pela manhã os políticos detidos na Operação “Limpeza” prestaram depoimento na delegacia.

O advogado de Juninho da Farmácia disse que a investigação, que levou à prisão temporária do vereador partiu de informações prestadas por Miguel Júnior narrando situação desconhecida pelo cliente dele. Já o advogado de Sargento Amilton informou que na segunda-feira, o vereador vai falar com a imprensa. O advogado de José Domingos disse que o vereador nega qualquer envolvimento na compra de apoio político. Já o advogado de Eustáquio Pereira ficou de retornar o contato do MGTV, mas até o fechamento da matéria, não houve o retorno.

De acordo om informações dos responsáveis pela investigação, os vereadores Eustáquio Pereira e Amilton Marques Moreira confessaram a pratica da corrupção passiva. Eles foram soltos, porém continuam sendo investigados. Segundo o delegado regional Cezar Felipe, o motivo da soltura, é porque eles colaboraram com as investigações e não havia no momento a necessidade deles permanecerem presos.

O vereador e presidente da câmara municipal de Araxá, Miguel Alves Ferreira Junior, foi interrogado nesta quinta-feira (20) e também foi solto, porém continua sob investigação. Segundo o delegado regional, o vereador confirmou que os investigados José Maria Lemos Junior e José Domingos Vaz receberem dinheiro de propina. Ainda segundo o delegado, mais dois nomes de vereadores foram citados.

Escoltados por agentes penitenciários, os veradores Juninho da Farmácia (DEM), que responde pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, Eustáquio Pereira (PT do B) e José Domingos Vaz (PDT) foram ouvidos sobre o envolvimento deles no esquema de compra de apoio político por meio do pagamento das propinas na Câmara.

De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos recebiam uma espécie de “mesada” como forma de pagamento pelo apoio a eleição e reeleição do presidente afastado da Câmara, vereador Miguel Júnior. Os vereadores investigados por desvios de verbas na Santa Casa da Misericórida de Araxá, também são investigados no caso.

O vereador Sargento Amilton (PT do B) foi o último a prestar novo depoimento. Enquanto os políticos eram ouvidos na delegacia, equipes da Polícia Civil cumpriam mandados de busca e apreensão de documentos. Os investigadores estão com materiais recolhidos na casa de uma secretária de Miguel Júnior e na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Araxá, que é presidida por Amilton.

Operação “Limpeza”

A Unidade Regional de Polícia Civil em Araxá deflagrou na tarde de quarta-feira (19) a Operação “Limpeza”, que culminou na prisão de mais três vereadores da idade. A informação foi dada por meio de nota oficial conjunta da Polícia Civil, Ministério Público e Judiciário de Araxá. A Operação, coordenada pelo delegado regional Cezar Felipe Colombari da Silva, ocorre em razão das investigações de compra de apoio político na Câmara Municipal, para eleição e reeleição à presidência da Casa.

Os três vereadores inicialmente presos, com suspeitas de envolvimento no desvio da Santa Casa de Misericórdia de Araxá, também são suspeitos da compra e venda de apoio político. Agora, os vereadores Eustáquio Pereira (PT do B), José Domingos Vaz (PDT) e o secretário de desenvolvimento rural, Juninho Lemos (Juninho Farmácia) (DEM), que ocupou a cadeira do legislativo em novembro, foram presos temporariamente, por suposta prática de corrupção passiva. O vereador Sargento Amilton que se encontra ainda preso, teve nova prisão decretada em outro caso em outro procedimento por outra circunstância fática.

Todos os vereadores tiverem o afastamento das funções decretado pelo Judiciário por representação da Polícia Civil e Ministério Público Estadual.

Delegado Doutor Conrado Costa da Silva é quem conduz as investigações/Foto:Reprodução/Portal G1

Delegado Doutor Conrado Costa da Silva é quem conduz as investigações/Foto:Reprodução/Portal G1

 

Reportagem: http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2015/08/vereadores-investigados-por-compra-de-apoio-politico-em-araxa-sao-soltos.html

0 Comentários “Vereadores investigados em operação em Araxá são soltos pela Justiça”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANUNCIE
ANUNCIE

Enquetes

O Portal SG AGORA quer saber, você é a favor, contra ou indiferente ao fechamento do comércio local considerado não essencial em São Gotardo?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...