Polícia Civil conclui inquérito sobre homicídio bárbaro em São Gotardo e quatro pessoas são presas

Na semana passada, a Delegacia de Polícia Civil de São Gotardo, conclui o Inquérito Policial que apurava o bárbaro crime de homicídio, praticado contra a vítima Gilberto C. P. S., também conhecido por “GILBERTO DEDINHO ou GILBERTO SEIS DEDOS”, cujo corpo foi encontrado carbonizado, em uma Fazenda na Zona Rural do Município de São Gotardo, no dia 01/08/2013, por servidores que prestavam serviços para uma Empresa prestadora de serviços para o DER/MG. Segundo a conclusão da investigação, o suspeito Marconi H. R., teria tomado conhecimento, que a vítima Gilberto, estaria informando para os Policiais Militares, os locais onde ele e demais traficantes estariam comercializando substâncias entorpecentes em São Gotardo o que ocasionou no crime de queima de arquivos contra a vítima.

Segundo informações da Polícia Civil de São Gotardo, Marconi passou a ficar com medo de ser preso, visto que o mesmo era um dos líderes do tráfico ilícito de entorpecentes, na Cidade, conforme restou devidamente comprovado através da operação denominada SKY FALL, que foi deflagrada no ano passado em Combate ao tráfico ilícito de entorpecentes, na qual foram presos dezenas de traficantes de drogas, incluindo o acusado preso pelo crime de homicídio. Dias antes do assassinato, Marconi e Douglas, vulgo “TELÃO”, teriam agredido a vítima Gilberto, desferindo-lhe vários socos e chutes contra a sua pessoa, ocasião em que também lhe ameaçaram dizendo que o mesmo era um cagueta e que por este motivo teria que morrer. Apesar das ameaças, a vítima não foi assassinada.

A partir de então, Marconi, passou a planejar a execução da vítima e para que seu plano não desse errado, o investigado pediu para que seu comparsa Daniel H. S., vulgo “DANIEL GÊMEO”, no dia 31/07/13, por volta das 20 hs., levasse a vítima Gilberto, até o bar do WALDIR, situado na saída da Cidade de Matutina, e lhe servisse bebida alcoólica, para que posteriormente Marconi, Baltazar, vulgo “GUIGUI” e Douglas, vulgo “TELÃO”, seqüestrassem a vítima levando-a para um local ermo onde a mesma seria assassinada.

Instantes depois que Daniel chegou no bar com a vítima, o comparsa Baltazar também chegou no local e seguiu com a vítima Gilberto até o carro de Marconi, oportunidade em que este solicitou que Douglas também adentrasse no veículo, pois, tinham que resolver uma pendência com Gilberto. Quando a vítima percebeu que a situação se tratava de um sequestro, o homem se recusou a entrar no veículo, porém foi surpreendido pelo comparsa “GUIGUI, que sacou  uma faca que estava portando e obrigou a vítima a adentrar no banco de trás do veículo.

Durante o percurso até o local da execução, o investigado “GUIGUI” torturou a vítima por diversas vezes, desferindo tapas e murros em seu rosto e também quebrando os dedinhos que o mesmo possuía além dos 05 (cinco) dedos normais. Ao chegar na Fazenda onde ocorreria o bárbaro crime, Marconi ordenou que “GUIGUI” retirasse a vítima do interior do veículo e fizesse o mesmo “subir”. A vítima ainda tentou implorar para que não fosse assassinado, porem escutou de um dos executores que infelizmente ele teria que morrer. “GUIGUI” então sacou uma faca que estava portando e passou a desferir vários golpes contra a vítma Gilberto, que em razão das agressões veio cair de bruços no solo e novamente pediu que os assassinos tivessem clemência de sua pessoa e não deixasse que Marconi e “GUIGUI” terminar de lhe matar. O comparsa Douglas, friamente respondeu a vítima que não poderia fazer mais nada, pois, o mesmo já tinha recebido vários golpes de faca.

Ainda não satisfeitos, os investigados telefonaram para um quinto comparsa, conhecido como “ANDREZINHO DO MOTO-TAXI”, e pediram que o mesmo levasse cerca de 08 (oito) litros de gasolina, tendo os investigados coberto o corpo da vítima com capim seco, jogado o combustível por cima e em seguida atearam fogo, enquanto a vítima ainda estava vivo, porem desacordado.

Ao final da operação, foi apurado que que todos os investigados, eram traficantes de drogas e por temerem ser entregues para a Polícia pela vítima acabaram lhe assassinando covardemente.
Foi solicitada a decretação das prisões preventivas de todos os investigados, que foram indiciados pela prática do crime de homicídio triplamente qualificado, tendo a Justiça Pública deferido o pedido e decretado as prisões.

Na última quarta-feira (16/12), os Policiais Civis da Comarca de São Gotardo, deram cumprimento aos mandados de prisão expedidos em desfavor dos autores Marconi H. R., Douglas L. B., Baltazar O. P., vulgo “GUIGUI” e Daniel H. S., vulgo “DANIEL GEMEO”. De acordo com informações da Polícia Civil de São Gotardo, não foi possível dar cumprimento ao mandado de prisão expedido em desfavor do autor André E. S., vulgo “ANDREZINHO DO MOTO-TAXI”, uma vez que tal indivíduo encontra-se foragido desde o mês de maio ano passado, ocasião em que a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do investigado e apreendeu vasta quantidade de drogas e diversos objetos de origem ilícita que eram trocados pelo autor por drogas.

Confiram as fotos dos acusados presos:

 

O Delegado da Comarca, Doutor João Henrique Furtado, solicita que, a pessoa que tenha notícias do paradeiro do autor, André E. S., vulgo “ANDREZINHO DO MOTO-TAXI”, que entre em contato com a Polícia Civil de São Gotardo através do telefone 034-3671-0217, ou com a Delegacia da Cidade onde tal indivíduo esteja foragido, ou com a Polícia Militar através do telefone 190 informando o local onde o mesmo encontra-se homiziado. A ajuda da população é de extrema importância, para que a criminalidade diminua na cidade e a paz possa reinar sobre São Gotardo.

Confiram a foto do homem que se encontra foragido:

ANDREZINHO DO MOTO-TAXI
Andrezinho encontra-se foragido desde de maio de 2014/Foto: PC

Fonte da reportagem e fotos: Polícia Civil de São Gotardo

Um comentário em “Polícia Civil conclui inquérito sobre homicídio bárbaro em São Gotardo e quatro pessoas são presas”

  1. Marcos disse:

    bando de covardes,por mim cadeia e pouco pra uns inúteis desses , uma pena a justiça ter brechas que em questão de anos estão soltos.. mais a justiça maior vem de Deus ..aqui se faz aqui se paga e quando morrer também ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANUNCIE
ANUNCIE

Enquetes

Qual nota você avalia o trabalho da Prefeitura Municipal de São Gotardo?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...