Reviravolta: Após laudo do IML, Delegado de São Gotardo descarta infanticídio em caso de bebê de quatro meses de idade

Foto Capa: Recebida através do WhatsApp do Portal SG AGORA
Foto Capa: Recebida através do WhatsApp do Portal SG AGORA

O laudo do Instituto Médico Legal de Patos de Minas comprovou na tarde desta sexta-feira (18/01), que a morte do bebê encontrado morto na residência onde ele morava com a mãe e o pai durante a noite desta quinta-feira (17) foi por asfixia gástrica, ou seja, ela teria se engasgado com o próprio leite. O delegado de Polícia Civil, Doutor Ricardo Maximiano, descartou então que a mãe foi causadora da morte da criança e afirma que a morte é considerada por causas naturais. Assim, a mulher de 24 anos não foi atuada pelo crime de homicídio qualificado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEUNINTER_Graduacao-e-pos

A mãe havia sido detida pela Polícia Militar e conduzida para a delegacia de Polícia Civil. Durante os interrogatórios, o delegado chegou a cogitar que a mãe seria autuada pelo crime de homicídio qualificado. Os exames no Instituto Médico Legal de Patos de Minas foram feitos também durante a manhã desta sexta-feira e o resultado descartou o homicídio. Segundo o laudo, a criança morreu por asfixia gástrica, ou seja, o bebê de apenas 04 meses de idade, se engasgou com o próprio leite.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEAncora-primavera-3

Com a nova informação vinda de Patos de Minas, o delegado de São Gotardo disse que o laudo deu uma reviravolta no caso. Segundo ele, a mãe não teve participação nenhuma na morte, que é considerada natural. “É obvio que a mãe não teve participação nenhuma nesta situação e (o laudo) mudou completamente o caso. Deu uma volta de 180 graus”, explicou o delegado da Depol de São Gotardo.

*Matéria em Atualização!

 

Reportagem: Igor Nunes/Patos Notícias/Diego Oliveira/Portal SG AGORA / Fonte da Reportagem: Igor Nunes/Patos Notícias / Foto Capa: Recebida através do WhatsApp do Portal SG AGORA

Tags

5 Comentários “Reviravolta: Após laudo do IML, Delegado de São Gotardo descarta infanticídio em caso de bebê de quatro meses de idade”

  1. Victor disse:

    E as lesões que a criança tinha pelo corpo ??????

  2. Leandro disse:

    Improvavel a veracidade. O laudo do IML leva cerca de trinta dias para sair!

  3. Fabiana disse:

    Estranho, não sabia que quando uma criança engasga imediatamente o corpo dela fica cheio de hematomas.

  4. Dody disse:

    Parabéns pela eficiência e copetencia da polícia

  5. Neir Alves disse:

    Muitos que acusaram essa mãe sem ter prova nenhuma devemos pedir perdão a ela e a Deus. Vi num grupo de Whatsapp uma série de acusações em cima da mulher. Um grande pecado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANUNCIE
ANUNCIE

Enquetes

De 1 a 5, qual sua nota para os serviços oferecidos pela COPASA em São Gotardo?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...