Sob pressão após ataques a militares, Rio 2016 garante segurança nos Jogos

rio-og-2016-696x435
Foto Capa: http://www.bestswim.com.br/2016/01/19/fina-anuncia-arbitragem-completa-da-natacao-do-rio-2016/

A segurança durante os Jogos Olímpicos Rio 2016 segue deixando a imprensa internacional aflita. Os registros de bala perdida em Deodoro, o ônibus atingido por uma pedra no trajeto para Barra da Tijuca e os três membros da Força Nacional baleados no Complexo da Maré deixaram o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Organizador da Olimpíada pressionados em encontro na manhã desta quinta-feira, no Parque Olímpico. Responsável por acalmar os ânimos, Mario Andrada, diretor de comunicação da Rio 2016, reafirmou a tranquilidade sobre o tema e justificou os inconvenientes recentes.

A respeito dos problemas envolvendo Deodoro, Andrada voltou a garantir que o ônibus que conduzia a imprensa de Deodoro para a Barra da Tijuca não foi atingido por disparo de armas de fogo e explicou a origem dos projéteis encontrados próximos das arenas. O porta-voz afirmou ainda que todos estão seguros no local:

– Deodoro está localizado em uma área militar e há um batalhão ali. A tensão da mídia é por existirem várias ações ali e o primeiro disparo foi de treinamento. A primeira bala veio de 2km de Deodoro e chegou na tenda de baixa velocidade, confirmando que a instalação não era alvo. A polícia fez uma ação nessa comunidade especificamente para detectar de onde veio o tiro e uma pessoa foi presa. Ainda não confirmamos que trata-se da arma do disparo, apesar de ser compatível com a munição. Na segunda, foram disparos contra a polícia que chegaram aos estábulos, mas não era aquele o alvo. Todos ali (em Deodoro) estão em segurança.

O atentado a militares da Força Nacional, que deixou três baleados, um deles em estado grave, também esteve em pauta. A preocupação com a segurança nos arredores do Maracanã, entretanto, foi rebatida por Mario Andrada:

– O ataque ao veículo da Força Nacional eu posso confirmar. Três soldados da Polícia Militar foram atingidos em uma área não muito próxima do Maracanã, mas perto da Linha Amarela. Eles não eram do Rio de Janeiro e acabaram em uma área em que não deveriam estar, que estavam sob a responsabilidade de outros grupos de segurança. Lamentamos muito. Temos que estar focados. É diferente de estarmos preocupados.

Na abertura do encontro, Mark Adams, porta-voz do COI, informou a realização de mais de dois mil exames antidoping desde a abertura da Vila Olímpica, no dia 24 de julho. Até o momento, não há registros de resultados positivos.

– Quero dizer que 2.097 testes foram feitos desde a abertura da Vila. São 1.975 de urina, 121 de sangue e outros 201 tipos de teste. (Caso alguém seja flagrado) será comunicado ao CAS e depois imagino que farei um anúncio público. Queremos que o processo seja o máximo possível independente do COI. É um sistema novo. O mais importante é que o processo esteja funcionando bem. Já vimos em outras edições dos Jogos o que podemos fazer.
Confira outros temas abordados pelo COI e Rio 2016:

Mario Andrada, diretor de comunicação da Rio 2016

Lugares vazios nas arenas

– Temos 2 milhões de ingressos vendidos no total. Como a maioria de vocês devem ter notado, vemos, realmente, alguns espaços vazios nos estádios. A principal arena em que vemos isso é o vôlei de praia e a razão é por conta de ingressos dobrados. Temos períodos com mais de um jogo e o público fica mais focado nos brasileiros. Alguns patrocinadores não estão ocupando seus ingressos. Tivemos que liberar também a saída de arenas em alguns momentos nos primeiros dias por conta do fornecimento de alimento, além dos cambistas de rua. Esses foram os problemas nos primeiros dias.

Cambistas

– Não temos o número total de ingressos confiscados nessas operações. Tivemos duas grandes operações secretas e vamos seguir colaborando. O sistema de ingressos da Rio 2016 foi concebido em parceria com as autoridades e permite que as forças de segurança persigam e identifiquem cambistas.

Reclamação de voluntários

– Temos uma sintonia fina a ser feita. Não é um problema de qualidade de alimentos, pelo contrário, mas tivemos que fazer ajustes. Dependendo a hora que você for trabalhar, tem um número “x” de refeições, e alguns dos restaurantes não tinham sintonia nisso, o voluntário tinha que ficar mais tempo. Tivemos uma força-tarefa para resolver os problemas. Ficamos orgulhosos e felizes com o envolvimento e compromisso dos voluntários.

Jornada de trabalho

– Todos os fornecedores precisam assinar os mesmos códigos de ética e isso inclui contratação de mão de obra. Todos têm que estar de acordo com a lei brasileira, que limita a jornada de trabalho das pessoas. Tivemos uma força-tarefa na Vila Olímpica no começo e temos sido cuidadosos com esse tema.

Segurança em Deodoro

– Os motoristas estão recebendo mais treinamentos. Deixar as luzes acesas é um protocolo local de segurança e baseado em pedidos locais específicos. Entendo que os pedidos de revisão dos kits de primeiros socorros estão sendo feitos e vamos verificar o bem-estar do voluntário turco. As forças de segurança são responsáveis pela área (onde o ônibus foi atingido) e mudaram os planos para aumentar a presença numérica no trajeto. Todos os militares e comandantes presentes na cena dizem que foi uma pedra jogada por um garoto. Todos os ônibus de Deodoro ao Parque Olímpico são escoltados por veículos militares.

Segurança é nossa principal preocupação e missão. Vamos seguir dando muita atenção a isso. É visível o aumento da presença militar. Há evidências para provar que não foi um tiro de arma de fogo.

Cor da água da piscina do Maria Lenk

– Não há qualquer risco para os atletas por conta da cor da água. Poderíamos melhorar a cor usando produtos químicos, mas não podemos colocar a saúde dos atletas em risco. A chuva fez o processo demorar um pouco, mas até o final do dia esperamos que água fique azul novamente. Estamos testando com nossos técnicos e um grupo independente avaliando a água para que o risco seja zero.

Boxeadores presos

– Ambos foram liberados nesta manhã, o que não quer dizer que o processo esteja resolvido. Um deles poderá participar das competições.

Mark Adams, porta-voz do COI

COI se arrepende dos Jogos no Rio?

– De jeito nenhum o COI se arrependeu. Estava na natação, no tênis de mesa, e a atmosfera foi incrível com os torcedores brasileiros. É a primeira Olimpíada na América do Sul e isso é importante para nós. Temos que praticar a solidariedade e as confederações nacionais colaboraram com este país. Esses Jogos são uma coisa muito boa para o movimento olímpico.

Segurança

– Em termos de segurança, quando dizemos que não somos responsáveis não quer dizer que não seja prioridade. Deixamos nas mãos das pessoas cujo esse é o trabalho. Temos um consultor exclusivo para isso e está tudo muito bem até agora.

 

Reportagem Original: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/noticia/2016/08/sob-pressao-apos-ataques-militares-rio-2016-garante-seguranca-nos-jogos.html

Tags

Um comentário em “Sob pressão após ataques a militares, Rio 2016 garante segurança nos Jogos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANUNCIE
ANUNCIE

Enquetes

De 1 a 5, qual sua nota para os serviços oferecidos pela COPASA em São Gotardo?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...