Será? Música eletrônica reduz picadas e reprodução do mosquito Aedes aegypti, aponta estudo

Foto Capa: Pixabay/Divulgação
Foto Capa: Pixabay/Divulgação

Pesquisadores da Universidade Malaysia Sarawak, na Malásia, estudaram os efeitos da música eletrônica no mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika, febre amarela e chikungunya. Para o teste, eles escolheram a música “Scary Monsters and Nice Sprites“, do produtor Skrillex (ouça abaixo), e constataram que enquanto a música tocava os mosquitos se reproduziram menos e também picaram menos.

Em insetos, vibrações de baixa frequência facilitam a hora do acasalamento, mas barulhos podem atrapalhar sua percepção de sinais vindos de outros insetos e de humanos.

Outros estudos tentaram entender como é a resposta de mosquitos às músicas, já que é conhecido que eles respondem à frequências sonoras além das mais básicas. Porém, nenhum estudo havia tentado entender o impacto da música como possível agente repelente.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEUNINTER_Graduacao-e-pos

Segundo Tamara, as antenas dos mosquitos funcionam como órgãos sensoriais que percebem vibração e são sensíveis a ondas sonoras, por isso existe a ideia de repelentes ultrassônicos, que não são perceptíveis aos ouvidos humanos, mas afastariam os mosquitos.

“Um desses sons ultrassônicos imitaria, por exemplo, o batimento das asas de predadores de mosquitos. Entretanto, não há confirmação científica da eficiência desse método de repelência”, diz.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEAncora-primavera-3

Abaixa o som!

Para a pesquisa, os cientistas, criaram dois ambientes: um com e outro sem música e compararam as taxas de visitação, alimentação e reprodução dos mosquitos em cada um.

As fêmeas de Aedes expostas à música visitaram o ambiente mais tarde que o normal, menos vezes e também se alimentaram menos. Além disso, os mosquitos expostos à música copularam muito menos do que os mosquitos no ambiente sem música.

O estudo pode abrir caminho para que novas formas de repelentes ultrassônicos sejam testadas, mas Tamara alerta que é preciso mais avanços.

“Associações entre música e animais já foram feitas anteriormente. No caso dos mosquitos, por perceberem ondas sonoras, talvez a música seja percebida também. Mas é importante lembrar que o experimento foi realizado com a música tocando bem próxima dos mosquitos, o que invalida a ideia de colocar som alto dentro de casa para espantar as picadas”.

 

Reportagem e Link Original: https://www.expressonoticia.com/noticia/860/musica-eletronica-reduz-picadas-e-reproducao-do-mosquito-aedes-aegypti-aponta-estudo?fbclid=IwAR0Ap1OXt3XQhzUq13Izal1faCSbB1JPeNXpA1pIRx2VwRWakvE8YCM6dfY / Foto Capa: Pixabay/Divulgação

Tags

0 Comentários “Será? Música eletrônica reduz picadas e reprodução do mosquito Aedes aegypti, aponta estudo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANUNCIE
ANUNCIE

Enquetes

De 1 a 5, qual sua nota para os serviços oferecidos pela COPASA em São Gotardo?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...