Startups do Agro apostam em tecnologia para oferecer soluções cada vez mais inovadoras para produtores agropecuários em meio à crise

Foto Capa: Reprodução/Blog-Verde

Bruno Matozo, Rafael Mendes e Leonardo Menegatti, líderes de startups do agronegócio se reuniram em evento online e gratuito, no dia 19 de maio, para discutir as dores e desafios de produtores rurais e pecuaristas. Suas empresas estão crescendo em ritmo acelerado e ajudam os produtores agropecuários a resolverem problemas em seus negócios. 

A conversa ocorreu durante o evento “Startups do Agro: desafios e oportunidades na pandemia”. O debate foi promovido pela Verde, empresa que produz o fertilizante K Forte®. O debate na ítegra pode ser visto pelo link: https://youtu.be/rp_8b4N2hLQ

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O primeiro tópico discutido foi sobre as mudanças que a crise trouxe para o mercado dessas startups.

Bruno Matozo, cofundador e CEO da startup Atomic Agro, informou que o principal propósito de criar o aplicativo, há quase 2 anos, foi para resolver as dores e os desafios do pequeno e médio produtor rural. E que os cadastros triplicaram após a pandemia do coronavírus:

“De outubro até março tínhamos cerca de 500 novos cadastros ao mês. A partir de março os cadastros saltaram para 1900 por mês, de forma natural. Dessa maneira, podemos perceber que o produtor, por si só, está buscando mais informações nas plataformas digitalizadas”.

A missão do aplicativo é tratar das novas tecnologias, que os grandes grupos do agronegócio já estão usando, para aqueles produtores rurais que não tinham acesso a esse mercado disruptivo.

Para Rafael Mendes, gerente comercial corporativo e líder regional de sucesso do cliente na PRODAP, empresa com foco na pecuária há mais de 40 anos no mercado, a transformação tecnológica das operações se iniciaram há 3 anos, antes mesmo da pandemia:

“A pandemia trouxe mudanças, a principal delas foi o aumento do uso das tecnologias para se comunicar com os clientes. Temos 70 consultores espalhados pelo país, prontos para transformar resultados e a história no Brasil e até do mundo. Não somos uma startup, mas usamos metodologias novas e procuramos trabalhar, com um mix de técnicas inovadoras, juntamente com a tradição de uma empresa consolidada.” 

InCeres, segundo o fundador e CEO, Leonardo Menegatti, é uma plataforma digital que tem como meta processar dados estruturados e não estruturados do agronegócio:

“Enxergamos a tecnologia digital como uma ferramenta fundamental para a tomada das melhores decisões do mercado. Somos uma plataforma que funciona como um canal de informações para os agricultores, consultores, cooperativas, revendas.”

Na visão de Menegatti, o produtor está descobrindo agora, após a pandemia, que mesmo sem visitação técnica, de revendas e maquinários, tem o material necessário para produzir. Segundo ele, 80% dos agricultores não têm acesso a assessoria técnica e ao conhecimento. Assim surgiu a InCeres:

“Eu trabalhei em uma empresa de consultoria e agricultura de precisão, que fazia análises de solo, com diagnósticos desde carência de manejo até falta de nutrição. Em 2007 juntei alguns dados e comecei a criar uma base tecnológica. Foi em 2012 que ocorreu a primeira versão da plataforma, que já se encontra, atualmente, na 5ª edição.”.

Hoje ele diz estar satisfeito por estar chegando perto da visão que teve há 12 anos atrás, ao criar o seu negócio. Nesse momento de pandemia, na sua opinião, é preciso se reformular e começar a pensar o que poderá acontecer daqui há 10 anos.

“É tempo de mudanças importantes, de arriscar mais e de se permitir realizar experimentações. Tivemos algumas boas notícias no nosso negócio, constatamos que pecuaristas estão mais receptivos e aqueles que iniciaram novas tecnologias há 2 anos atrás, bem antes da crise, encontram-se à frente no mercado“, enfatizou Rafael Mendes.

Como informou Mendes, apenas ⅓ dos fazendeiros tem um resultado financeiro positivo, enquanto ⅔ não têm uma gestão bem estruturada ou um solo fértil. O papel da PRODAP é elevar esses negócios para outro nível oferecendo diferentes pacotes de serviços, pois acredita que um único produto não fará a mágica sozinho.  

Bruno, destaca que a Atomic Agro está em plena ascensão, processo acelerado pela pandemia: avançou 5 anos em 5 meses. E que é preciso estar atento às mudanças constantes: 

“As startups vêm crescendo, se reinventam bem mais rápido. Não é necessário esperar acabar a pandemia para se mover. Agora é o momento de mudar o mindset, seja nessa pandemia biológica, em uma crise financeira. É preciso se antecipar.”

Leonardo falou sobre as incertezas do agronegócio com a pandemia: 

“Estamos entrando em um mundo de muitas dúvidas. Tudo ficou mais fluido, a gente não sabe qual será a melhor forma. Nossa sociedade perdeu a familiaridade. Vamos sair dessa pandemia diferentes, focados nas pessoas, nos agricultores, na preservação da saúde. A confiança é a base para construir bons negócios e relacionamentos, é preciso ser uma fonte confiável de informação, reforçar boas práticas, mantendo distanciamento social e incluindo novas tecnologias.”

Ao falar sobre novas formas de comunicação e sobre as feiras de agronegócio, Bruno disse que estamos vivendo uma era de inovação, disrupção e que não é preciso uma pandemia para que os produtores rurais saiam da zona de conforto.

“Somos em 16 pessoas na startup e atualmente, apesar da distância, estamos mais produtivos, mais próximos, através de videoconferências com frequência e com maior comprometimento.”

Nesse sentido, Rafael disse que a PRODAP reinventou todo o seu plano de marketing: novas ações com webinários, ações de máquinas de vendas e novas tecnologias comerciais. E que o espírito de colaboração mudou exponencialmente no período home office, entre as áreas comercial, marketing e tecnológica:

É importante realizar mudanças internas, jogar de forma diferente, o time deve continuar sendo capacitado, motivado para trabalhar para nossos clientes, que é o grande cerne de toda empresa, é o que gera valor, a alavanca principal.”, salienta Mendes.

O mediador Cristiano, apresentou a pesquisa da McKinsey, sobre dados de novas tecnologia, sustentabilidade e atendimento ao cliente e Bruno afirmou diante das informações que o produto é só um meio, que o que as pessoas compram mesmo é o serviço. “Apesar do movimento de aceleração das novas tecnologias aqui no Brasil, é importante manter a presença pessoal, pois essa é uma característica do novo país, de cultura mais acalorada”.

Para Leonardo, há muita oportunidade nessa transformação que está acontecendo no mundo. Pois, como esclareceu no bate-papo, existem novas maneiras de fazer coisas que já eram feitas antes de formas diferentes: mais ecológicas, sustentáveis e econômicas:

“Nós temos a obrigação de sairmos melhores do que entramos, aumentar a eficiência do setor agro e melhorar a tomada de decisões.”

Dificilmente existirá uma solução única para essa e outras crises, conforme Rafael. O ideal para ele, nesse período, é buscar parcerias, plataformas digitais e priorizar empresas brasileiras, que sirvam para o mercado, fazendo o melhor para os clientes, agricultores e pecuaristas. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Leonardo Afonso Angeli Menegatti é CEO da InCeres, uma empresa que desenvolveu uma plataforma digital agronômica para armazenamento e processamento de dados para dar suporte às tomadas de decisão do agronegócio. Trabalhando com Agricultura de Precisão desde 1997, Leonardo é um dos pioneiros no uso e desenvolvimento dessa tecnologia no Brasil. Criou uma grande empresa de consultoria agronômica e um laboratório de análise do solo.

Leonardo Afonso Angeli Menegatti é Engenheiro Agrônomo e Mestre pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), tendo estudado também na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Também tem MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas de Campinas.

Rafael Mendes é Gerente Comercial Corporativo e Líder Regional de Sucesso do Cliente na PRODAP, empresa que oferece soluções tecnológicas para o setor pecuário. A frente dos seus times, Rafael executa a gestão e liderança do time comercial e atua desde 2010 nas principais praças de pecuária em todo Brasil. Os projetos envolvem consultoria em gestão, nutrição animal e softwares em fazendas de pecuária de corte.

Rafael tem foco em transformar a história dos clientes da PRODAP, desenvolvendo os colaboradores e a pecuária Brasileira. Rafael Mendes é Graduado em Zootecnia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), com pós-graduação pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) em Produção de Ruminantes e tem MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-BH.

Bruno Matozo é sócio e cofundador da Startup Atomic Agro e cofundador e sócio-diretor do Grupo Vexi, uma empresa líder em consultoria Ag que presta serviços a empresas de agroquímicos, como Bayer, UPL, Syngenta, Monsanto, Ihara.

Especialista com mais de 15 anos dedicados à pesquisa de mercado, Bruno construiu um extenso banco de dados, pesquisando mais de 40.000 agricultores brasileiros. Bruno Matozo tem especialização em Mercado de Capitais, Administração de Investimentos Financeiros pela Universidade de Barcelona, na Espanha.

Sobre o autor: Cristiano Veloso é fundador e CEO da Verde Agritech Plc (“Verde”), mineradora inglesa listada na Bolsa de Valores de Toronto. Tem ampla experiência e conhecimento nos setores agrícola e mineral. Cristiano é especialista em Sustainable Business Strategy pela Harvard Business School, mestre em Direito pela University of East Anglia e bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais. A frente da Verde, Cristiano lidera uma empresa inovadora cujo propósito é melhorar a saúde das pessoas e do Planeta.

.

Reportagem: Assessoria de Imprensa-Verde / Foto Capa: Reprodução/Blog-Verde

Tags

0 Comentários “Startups do Agro apostam em tecnologia para oferecer soluções cada vez mais inovadoras para produtores agropecuários em meio à crise”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANUNCIE
ANUNCIE

Enquetes

O Portal SG AGORA quer saber, você é a favor, contra ou indiferente ao fechamento do comércio local considerado não essencial em São Gotardo?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...